Família reencontra paciente que morava há oito meses em hospital

Família reencontra paciente que morava há oito meses em hospital


He lost his memory when he suffered an accident on the side of the road Dutra.

Family recognized by the press and the man went to the hospital.

Ele perdeu a memória ao sofrer um acidente no acostamento da via Dutra.
Familiares reconheceram o homem pela imprensa e foram até o hospital.

Valdir José de Souza, 32, rejoined the family after eight months hospitalized at the Hospital Clinic South in São José dos Campos (SP). (Photo: Natalia Teodoro / TV Vanguard)

There were eight months of waiting in a hospital in São José dos Campos, São Paulo, until Jose Tenorio Valdir de Souza rediscover his family. He lost his memory after an accident on the side of the Presidente Dutra Highway, on June 24, and was hospitalized since. This Sunday (10), he left the hospital, accompanied by relatives.

The reunion was at the Clinical Hospital of Southern Family Valdir, who live in Pernambuco, saw the news of the missing patient, which spread in social networks, and triggered other relatives, who live in São Paulo. “We were without news from him three years ago. Wanderer He was kind. Knew he could be alive or dead, we expected to find him in good health,” says José Tenorio de Souza, brother of Valdir, who lives in Maua (SP ).

Valdir suffered head trauma and still can not express themselves clearly. At the reunion, he said he is very happy and wants to go back to work and take care of his son, aged nine.

Both time together meant that the hospital staff would create a bond of affection with the patient. “He became the darling of the ward. Already said that he will walk back to see everyone at the hospital,” said Maria Teresa Fonseca, a social worker who accompanied Valdir.

Valdir in November 2011, when he lived in

hospital for 5 months (Photo: Play / TV Vanguard)

Recovery

Jose Tenorio Valdir de Souza is 32 years old and, even without memory, identified himself only as Valdir. According to officials, was confused and could not give further information about his life.

In the period when the Pernambuco was hospitalized, no relatives came to him. He was not carrying documents that could help in identification.

In January, after surgery, he was regaining memory and remembered the name. Reminded siblings and son. “The work of the nursing staff was very important because every day they talked with him, were encouraging, remembering to go,” said the social worker.

Despite already being discharged, he had no where to go. In Maua he should be assisted by the Assistance Association for Children with Disabilities (AACD). The work should auxilliar rehabilitation of the patient.

 José Valdir de Souza, de 32 anos, reencontrou os familiares após oito meses internado no Hospital Clínicas Sul, em São José dos Campos (SP). (Foto: Natalia Teodoro/ TV Vanguarda)

Foram oito meses de espera em um hospital de São José dos Campos, interior de São Paulo, até que José Valdir Tenório de Souza reencontrasse sua família. Ele perdeu a memória após sofrer um acidente no acostamento da Rodovia Presidente Dutra, no dia 24 de junho, e estava internado deste então. Neste domingo (10), ele deixou o hospital, acompanhado dos familiares.

O reencontro foi no Hospital de Clínicas Sul. Familiares de Valdir, que moram em Pernambuco, viram a notícia do paciente desaparecido, que se espalhou em redes sociais, e acionaram outros familiares, que moram em São Paulo. “Estávamos sem notícias dele há três anos. Ele era meio andarilho. Sabia que ele podia estar vivo ou estar morto, a gente esperava encontrar ele, com saúde”, diz José Tenório de Souza, irmão de Valdir, que mora em Mauá (SP).

Valdir sofreu traumatismo craniano e ainda não consegue se expressar com clareza. No reencontro, ele disse estar muito feliz e que tem vontade de voltar a trabalhar e cuidar do filho, de nove anos.

Tanto tempo de convivência fez com que os funcionários do hospital criassem um laço afetivo com o paciente. “Ele virou o queridinho da enfermaria. Ele já disse que vai voltar caminhando para ver todo mundo no hospital”, disse Maria Teresa Fonseca, assistente social que acompanhou Valdir.

Homem perdeu a memória após acidente e hospital procura família (Foto: Reprodução/TV Vanguarda)
Valdir em novembro de 2011, quando já morava no
hospital há 5 meses (Foto: Repr/ TV Vanguarda)

Recuperação
José Valdir Tenório de Souza tem 32 anos e, mesmo sem memória, se identificava apenas como Valdir. Segundo os funcionários, estava confuso e não sabia dar outras informações sobre sua vida.

No período em que o pernambucano ficou internado, nenhum parente foi procurá-lo. Ele não portava documentos que pudessem ajudar na identificação.

Em janeiro, depois de uma cirurgia, ele foi retomando a memória e se lembrou do sobrenome. Lembrou dos irmãos e também do filho. “O trabalho da equipe de enfermagem foi muito importante, porque todo dia eles conversavam com ele, iam estimulando, até ir lembrando”, disse a assistente social.

Apesar de já ter tido alta, ele não tinha pra onde ir. Em Mauá ele deve ser assistido pela Associação de Assistência à Criança com Deficiência (AACD). O trabalho deve auxilliar a reabilitação do paciente.

Comments

comments

Compartilhe

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>